Oscilações na Escrita de Monteiro Lobato: Escritura ou Escrevência?

Autores

Neide das Graças de Souza

Sinopse

"A investigação em torno da escrita de Monteiro Lobato foi norteada, sobretudo, por algumas teorizações de Roland Barthes (em que o diálogo com a psicanálise torna-se profícuo), mais, especificadamente, por seus conceitos de escritura e escrevência. A partir desse instrumental teórico, buscou-se reler as obras Viagem ao Céu (1932), Memórias da Emília (1936), Dom Quixote das Crianças (1936), O Pica-Pau Amarelo (1939) e A reforma da natureza (1941), apontando-se oscilações na escrita do autor, que ora rende à escritura, ora à escrevência. Considerando que, tradicionalmente, privilegiam-se leituras voltadas para a exaltação e idealização de sua personalidade e de seus feitos enquanto intelectual “revolucionário”, bem como para a importância dos conteúdos ideológicos de suas obras na formação das crianças, o destaque do movimento oscilatório na escrita de Lobato propicia um novo olhar crítico sobre sua produção literária."

##plugins.generic.usageStats.downloads##

Não há dados estatísticos.
Capa para Oscilações na Escrita de Monteiro Lobato: Escritura ou Escrevência?
Categorias

Detalhes sobre essa publicação

Date of first publication (11)
2001
Calendário Islâmico
Dimensões físicas